Custo de desoneração da folha de pagamentos dobra em 2014

Agência Brasil

FOTO: DIVULGAÇÃO
 Responsável por fazer o governo deixar de arrecadar R$ 13,2 bilhões no ano passado, a desoneração da folha de pagamento está trazendo maiores custos para o Tesouro Nacional em 2014. Nos dois primeiros meses do ano, a renúncia fiscal correspondeu a mais que o dobro do registrado no mesmo período de 2013.
Segundo dados mais recentes da Receita Federal, o governo deixou de arrecadar R$ 3,59 bilhões em janeiro e fevereiro por causa da desoneração da folha, contra R$ 1,6 bilhão nos mesmos meses do ano passado. A principal responsável pela diferença foi a inclusão de 16 setores da economia que não contavam com o benefício fiscal no início de 2013.
Em julho do ano passado, dez setores da indústria, do comércio e de serviços, além da construção civil, entraram na desoneração. Em janeiro deste ano, cinco segmentos ligados ao transporte e as empresas jornalísticas também passaram a fazer parte do novo sistema de contribuição para a Previdência Social.
O novo regime começou a ser adotado em 2011 para estimular o emprego e evitar demissões nas indústrias de couro e calçados, nas confecções e nas empresas de call center e de tecnologia da informação. Atualmente, 56 segmentos da indústria, do comércio, dos serviços e dos transportes são beneficiados pela desoneração da folha.
Em vez de pagarem 20% da folha de pagamento como contribuição patronal à Previdência Social, os setores beneficiados pela desoneração passaram a pagar 1% ou 2% do faturamento, dependendo da atividade. A mudança beneficia principalmente as empresas intensivas em mão de obra (que dão mais emprego). Como as alíquotas são mais baixas do que os níveis que manteriam a arrecadação da Previdência, a desoneração implica custos para o governo.
De acordo com cálculos do Ministério da Fazenda, a alíquota neutra – que não traria impacto na arrecadação federal – seria 2,2% em média. Para algumas atividades, no entanto, a alíquota neutra chegaria a 4,6% do faturamento. A desoneração da folha não aumenta o déficit da Previdência porque o Tesouro Nacional compensa o INSS com a diferença de arrecadação e assume as despesas do novo regime. Além disso, no caso da indústria, os produtos importados dos segmentos beneficiados tiveram PIS/Cofins reajustado em um ponto percentual.

Após quatro dias internado, José Serra recebe alta

Agência Brasil

FOTO: DIVULGAÇÃO

Depois de quatro dias internado, o ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) recebeu alta e deixou o Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, na tarde de hoje (19), segundo a assessoria de imprensa da instituição. Ele tratou uma bacteremia, que é a presença de bactérias no sangue. Por volta das 14h, a assessoria do político informou que ele já havia apresentado melhoras no quadro clínico e que estava sem febre. O tratamento foi feito com antibióticos.
No final de janeiro deste ano, José Serra passou por uma cirurgia de próstata também no Sírio-Libanês. De acordo com o boletim médico, a intervenção foi necessária para “tratamento de quadro de crescimento benigno local”. A análise do material removido mostrou que não havia necessidade de tratamento adicional e que ele estava apto a retomar atividades rotineiras. O ex-governador recebeu alta no dia 31.
Além de governador, eleito em 2006, José Serra foi prefeito da capital paulista, elegendo-se em 2004. Foi também candidato à Presidência da República em 2002 e 2010.

Time News - Morre locutor Luciano do Valle, aos 70 anos

URGENTE: José Serra está internado no Hospital Sírio-Libanês

Agência Brasil

FOTO: DIVULGAÇÃO
 O ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) está internado no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista. A informação foi confirmada hoje (19) pela assessoria de imprensa do hospital, mas não foram dados detalhes sobre os motivos da internação ou o estado de saúde dele. A assessoria de José Serra informou, por sua vez, que ele deu entrada na quarta-feira (16) na unidade para tratar de bactérias no sangue.
A assessoria do ex-governador disse também que o quadro clínico dele evoluiu e, na tarde de hoje (19), a febre está sob controle. Serra está sendo tratado com antibióticos e, por enquanto, não há previsão de alta.
No final de janeiro deste ano, José Serra passou por uma cirurgia de próstata também no Sírio-Libanês. De acordo com o boletim médico, a intervenção foi necessária para “tratamento de quadro de crescimento benigno local”. A análise do material removido mostrou que não havia necessidade de tratamento adicional e que ele estava apto a retomar atividades rotineiras. O ex-governador recebeu alta no dia 31.

URGENTE: Escola fica destruída após temporal no RS e alunos são transferidos

Jaime Júnior com Assessoria de Imprensa de Tapejara


FOTO: DIVULGAÇÃO

 A Secretaria da Educação, Desporto e Cultura de Tapejara e a Direção da Escola Catarina Debastiani informam que devido o ocorrido, as crianças que estudam nesta escola, serão atendidas nas dependências do Programa Segundo Tempo Escolar, nesta segunda-feira, dia 14. A partir de terça-feira, dia 15, as aulas acontecerão na Escola Municipal São Paulo. Os alunos devem estar em frente a escola às 07h20 pela manhã e às 13h pela parte da tarde. Essas medidas são temporárias pois a reforma da escola já está em andamento.