GRAVATAÍ: Chacina pode ter sido queima de arquivo

Da redação
FOTO: Brigada Militar/Divulgação
As quatro vítimas fatais da chacina ocorrida neste sábado (25) em Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre, podem ter sido mortas devido ao fato dos criminosos não terem encontrado o alvo que buscavam.

De acordo com a Polícia Civil, a dupla que atirou em sete pessoas, já que três sobreviveram e foram encaminhadas a hospitai, em uma casa na Rua Dom Vitório Mônego, no bairro Cruzeiro, estariam, na verdade, procurando outra pessoa, na casa da frente de onde os disparos foram efetuados.

A Polícia Civil já começou a colher depoimentos de testemunhas do caso. Moradores da região afirmaram que dois homens chegaram ao local e desceram de um veículo Toyota Etios com o intuito de matar alguém.

O terreno, no entanto, possui duas casas. Os homens abordaram com tiros primeiro os moradores da casa da frente e, em seguida, também atiraram contra a família que residia na casa dos fundos. As vítimas assistiam televisão e tomavam chimarrão quando foram surpreendidos.


A residência da frente de onde ocorreu o crime continha poucos móveis. Mas lá foram encontrados uma touca ninja, um colete balístico, três aparelhos celulares e uma caixa de rádio na frequência da Brigada Militar. Os atuais locatários estavam no imóvel havia pouco mais de um mês e, conforme testemunhas, não apresentaram atividades suspeitas.

Nenhum comentário

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE