GRAVATAÍ: Criminosos que cometeram chacina buscavam um foragido da Fase

Da redação
FOTO: Brigada Militar/Divulgação
As quatro vítimas fatais da chacina ocorrida no último sábado (25) em Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre, podem ter sido mortas devido ao fato dos criminosos não terem encontrado o alvo que buscavam.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Felipe Borba, a família morta na chacina não era envolvida com a criminalidade. O alvo seria um foragido da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Fase), que não foi encontrado pelos criminosos.

Como foi o crime
Os criminosos chegaram em um Toyota preto, e se dirigiram para a casa da frente. Na residência, havia dois rapazes e uma jovem grávida, que fugiram para a casa dos fundos. Em seguida, foram perseguidos pelos criminosos.

Na residência de trás, estava a família Camargo que foi atingida por diversos disparos. Morreram Altair Camargo, 42 anos, seus filhos Carolina, de 17 anos, e William, de 6 anos, e sua sogra, Magali Claudino Procasco. A esposa de Altair, mesmo sendo atingida pelos disparos, foi socorrida e não corre risco de morte.

A dupla que estava na residência da frente conseguiu fugir. Eles foram atendidos no Hospital Dom João Becker e foram liberados. Segundo a polícia eles têm antecedentes por roubo de veículos, receptação e tráfico de entorpecentes.


A jovem que estava grávida só não morreu porque a arma de um dos criminosos teria falhado.

Nenhum comentário

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE