TRÊS CASOS EM CANOAS: Conheça os tipos, sintomas e formas de prevenção da meningite

Da redação
FOTO: SECOM Canoas/Arquivo
Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre, já registrou três casos de meningite em 2017. Duas crianças seguem internadas no Hospital Universitário e uma morreu no início de agosto no HPS.

Na segunda-feira, a Secretária Municipal de Saúde de Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre, emitiu um alerta epidemiológico. O objetivo, é chamar a atenção dos hospitais, unidades de pronto atendimento e unidades básicas para que os pacientes que cheguem com sintomas da meningite, sejam priorizados.

Além disso, por meio de nota, a Secretária informou que o “objetivo é munir os profissionais de saúde de saúde com as informações para que possam tomar todas as providências necessárias no sentido de realizar o diagnóstico com a maior brevidade possível. ”

Em todo o Rio Grande do Sul, já são 59 casos da doença registrados.  Até o momento, nove pessoas já morreram com Meningite.

Tipos de meningite
Meningite bacteriana
Entre as meningites bacterianas, a Doença Meningocócica (DM) continua sendo o principal objetivo da vigilância das meningites, em função da morbimortalidade e da transcendência da doença.

Doença Meningocócica
A doença meningocócica é causada por uma bactéria que possui diversos sorogrupos, classificados de acordo com o antígeno polissacarídeo da cápsula. Os mais frequentes são o A, B, C e o Y e W. A transmissão ocorre através do contato direto pessoa a pessoa, por meio de secreções respiratórias de pessoas infectadas, assintomáticas ou doentes.

Meningite viral
As meningites virais são aquelas causadas por vírus e, em 85% dos casos os enterovírus são responsáveis pela doença. É caracterizada por um quadro clínico com evolução autolimitada e benigna. Não há tratamento específico, geralmente requer apenas a terapia de suporte. As manifestações clínicas assemelham-se às viroses em geral.

Sintomas
Febre alta com começo repentino, dor de cabeça intensa, prostração, rigidez da nuca, vômitos e náusea. Em crianças pequenas, pode haver afundamento ou elevação da moleira.

Prevenção
-Vacinação;
- Higienização das mãos;
- Higienização do ambiente;
- Ventilação do ambiente;

- Cuidado com os alimentos

Nenhum comentário

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE